sexta-feira, 6 de julho de 2012

Unidos em favor do Adolescente Privado de Liberdade


05/07/2012
Raphael Freire

Um Fórum de Acompanhamento da Assistência Religiosa ao Adolescente Privado de Liberdade foi realizado na manhã desta quinta-feira, 5 de julho, no Edifício João Paulo II – sede da Mitra Arquiepiscopal, na Glória. Conduzido pelo Arcebispo do Rio de Janeiro, Dom Orani João Tempesta, o encontro contou também com a presença do assistente eclesiástico da Comissão Arquidiocesana de Assistência Religiosa ao Adolescente Privado de Liberdade, Padre Geovane Ferreira Silva, do Juiz da Vara da Infância e Juventude da Capital, Marcius da Costa Ferreira, do Diretor Geral do Departamento Geral de Ações Socioeducativas (Degase), Alexandre Azevedo, além de representantes da assistência religiosa, das assistentes sociais da Arquidiocese e do Degase.

Durante o fórum, o Secretário da Comissão Arquidiocesana de Assistência Religiosa ao Adolescente Privado de Liberdade, Paulo Fetal, fez um panorama do trabalho que a Igreja realiza com os jovens privados de liberdade desde 1997. Segundo o secretário, houve uma melhoria significativa na receptividade da assistência religiosa por parte dos agentes do Degase e dos adolescentes.

A psicóloga do Departamento Geral de Ações Socioeducativas, Christiane da Mota Zeitone, também expôs, durante o fórum, o projeto “Diálogos - Trabalhando com Aqueles que Trabalham”, que foi implementado no Centro de Recursos Integrados de Atendimento ao Adolescente (Criaad) da Ilha do Governador, em agosto de 2009, como uma estratégia e intervenção para dar conta de demandas subjetivas associadas à violência e ao mal-estar do serviço.

O projeto é destinado aos agentes educacionais/disciplina e à equipe técnica das unidades, e seu objetivo é criar uma integração no trabalho das equipes de cada unidade, baseado no diálogo, respeito e amor pelo próximo, principalmente pelo jovem abrigado. Durante sua apresentação, Christiane pediu o apoio da assistência religiosa no sentido de motivar os agentes do Degase a participarem do projeto.

— Para nós, é muito importante saber o que os agentes acham sobre a assistência religiosa, pois isso facilitará numa reflexão dos mesmos sobre a importância do trabalho realizado pelos assistentes religiosos nas unidades socioeducativas, afirmou o Coordenador da Comissão Arquidiocesana de Assistência Religiosa aos Adolescentes Privados de Liberdade, Roberto dos Santos.

A Coordenadora das Assistentes Sociais da Arquidiocese do Rio, Valesca Marinho, também recordou um estudo de caso realizado com 9 adolescentes e destacou alguns pontos importantes analisados pelas assistentes sociais que ainda hoje acompanham esses jovens e suas famílias.

— Percebemos, com esse acompanhamento, que não podemos culpabilizar a família e nem sobrepor as ações já realizadas pelo Degase. Então, a nossa ação é diretamente realizada nos territórios onde esses adolescentes residem com as suas famílias. Além disso, é importante capacitar e qualificar os assistentes religiosos buscando formar uma liderança comunitária, que é fundamental, explicou Valesca.

O Diretor Geral do Degase, Alexandre Azevedo, ressaltou a importância da assistência religiosa nas unidades socioeducativas. Ele destacou ainda a notoriedade do trabalho desenvolvido pela Igreja Católica, única a atingir todo o Estado do Rio de Janeiro no trabalho com os menores privados de liberdade. O Juiz da Vara da Infância e Juventude da Capital, Marcius da Costa Ferreira, também falou sobre a importância da parceria entre Igreja e Estado.

— Uma das coisas que deve ser citada é que a fase inicial, sempre muito chata de ultrapassar e que traz a desconfiança, já passou. Hoje, nós vemos todo mundo tentando trilhar para o mesmo objetivo e o apoio da Igreja Católica sempre foi muito notável, porque é a única Igreja que atende em todo o Estado. E nós agradecemos, pois ela sempre esteve ao nosso lado e nunca nos deixou, disse Alexandre Azevedo.

— A Igreja ocupa um papel muito importante como parceira para orientar a juventude. E não é à toa que no ano que vem nós estaremos aqui, no Rio, com esse propósito, ressaltou o Juiz Marcius da Costa Ferreira, referindo-se à Jornada Mundial da Juventude.

Uma das novidades expostas no Fórum foi a decisão da Direção do Departamento Geral de Ações Socioeducativas de construir um local próprio para culto, oração, reflexão e atividades realizadas pela assistência religiosa dentro das unidades do Degase. Diante do anúncio, Roberto dos Santos, que coordena a comissão arquidiocesana, expressou sua alegria.

— Hoje, já há um consenso da parte da direção do Degase de um local próprio para a assistência religiosa. Acho importantíssima essa mudança de estrutura que contempla um espaço onde seja destacado para o adolescente um sinal de religiosidade. Fico feliz que o diretor geral expôs que vai existir esse local e acho interessante, pois isso vem ao encontro de nossa expectativa, afirmou.

Um Centro de Apoio à Assistência Religiosa também está sendo criado pela Igreja no Rio de Janeiro e uma possível participação dos adolescentes na Jornada Mundial da Juventude (JMJ RIO2013) também foi discutida no Fórum. A próxima reunião está prevista para o dia 29 de novembro.

— É no conjunto de ações, trabalhos e interesses que pode nascer essa construção. A nossa parte é ser presença e dar sentido à vida do jovem, da criança e do adolescente. Estar junto, dando nossa parcela de contribuição e pensando que, por pior que esteja a situação, o mais importante é não perdermos a esperança de que esse jovem será feliz e um cidadão útil, olhando sua própria história e vendo que conseguiu vencer todas as dificuldades, afirmou o Arcebispo do Rio, Dom Orani       fonte: http://www.arquidiocese.org.br/cgi/cgilua.exe/sys/start.htm
      F   

Nenhum comentário:

Postar um comentário