quarta-feira, 20 de junho de 2012

" Arquidiocese apresenta texto do 11º PPC "


19/06/2012
Raphael Freire

Em vigor desde o dia 28 de novembro do ano passado, o texto do 11º Plano de Pastoral de Conjunto (PPC) será apresentado ao clero arquidiocesano no dia 4 de agosto – Festa de São João Maria Vianney e Dia do Padre –, às 8h, na Irmandade de São Pedro, no Rio Comprido. Além da apresentação específica para os sacerdotes, no dia 11 de agosto será a vez das lideranças comunitárias terem acesso ao documento, que se formou ao longo de três etapas, num período de dois anos.

— Todos os padres estão sendo convidados por Dom Orani para que durante a manhã do dia 4 de agosto cumpram um contrato formal com as grandes linhas inspiradoras do 11º Plano de Pastoral. Com relação ao laicato, o Arcebispo aprovou uma proposta da Coordenação de Pastoral de apresentar o texto no dia 11 de agosto e, por isso, pedimos que todas as lideranças pastorais reservem esse dia para ter um contato com o texto, além de recordar tudo aquilo que já foi visto nos últimos dois anos, disse o Coordenador Arquidiocesano de Pastoral, Monsenhor Joel Amado.

O 11º PPC não está inserido somente no Rio de Janeiro, mas se utiliza de fontes como a Conferência de Aparecida e as diretrizes atuais da ação evangelizadora no Brasil, buscando a unidade e a fidelidade à Igreja. O subsídio também apresenta trechos da Carta Apostólica “Porta Fidei”, do Papa Bento XVI, sobre o Ano da Fé. Inspirado por essas referências, Monsenhor Joel destacou o que considera ser o grande diferencial do novo Plano de Pastoral.

— O Papa expressa em sua carta que “a questão hoje não é apenas tirar consequências da fé, mas a questão hoje é ajudar as pessoas a fazerem a experiência da fé”. Não se trata de abandonar as consequências do Evangelho como, por exemplo, numa das maiores defesas, que é a promoção da vida. Mas eu só defendo e promovo a vida se eu tenho Jesus no coração. Eu tomo certas atitudes diante da vida a partir da minha opção por Jesus e essa opção, diz o Papa, não pode mais ser dada como pressuposta, ela precisa ser explicitada, logo, é anúncio, catecumenato, e missão explícitos... Eu diria que aqui está a grande novidade do 11ª Plano de Pastoral, afirmou.

De acordo com Monsenhor Joel, duas questões que não estavam no início do projeto foram aparecendo ao longo dos dois anos de preparação e construção do 11º PPC, pois eram observados com atenção pelas comunidades: a juventude e a comunicação. Os dois elementos acabaram fazendo parte do documento, se tornando, então, os capítulos finais do subsídio: “Juventude, discipulado e missão” e “Comunicação compreendida como a missão nos novos areópagos”.

— O capítulo que fala sobre a comunicação tem duas características interessantes. A primeira delas é que ele é o capítulo mais próximo do 10º Plano de Pastoral de Conjunto, porque comunicação no documento anterior foi um tema avançado. O pessoal que estudou e trabalhou sobre o assunto, no capítulo do 10º PPC, fez com que a reflexão avançasse muito. Já as pessoas que ajudaram na construção do 11º PPC perceberam uma boa teoria, mas uma prática limitada. Ao analisar a comunicação, vimos que temos muitos instrumentos, mas muitas vezes a cabeça do católico ainda não acompanhou esse processo. Não há uma cultura de comunicação, de transmissão, e, nesse sentido, a grande proposta que o novo Plano de Pastoral tem seria então a elaboração de um diretório arquidiocesano para a comunicação, explicou o Monsenhor.

O Setor Pastoral da Arquidiocese ainda não definiu o local e o horário para a apresentação do documento aos fiéis leigos, mas a data – 11 de agosto – está confirmada. Já os sacerdotes são convidados a participar no dia 4 de agosto, às 8h, na Irmandade de São Pedro, que fica na Avenida Paulo de Frontin, 566 – Rio Comprido.

* Fotos: Arquivo
* Colaboração: Marcylene Capper

Nenhum comentário:

Postar um comentário