segunda-feira, 9 de abril de 2012

“Ide por todo o mundo e pregai o Evangelho a toda criatura” (Mc 16, 15)

“Ide por todo o mundo e pregai o Evangelho a toda criatura” (Mc 16, 15)
09/04/2012
Renato Francisco - Jornal Testemunho de Fé





No dia 14 de abril, às 8h30min, serão ordenados 11 novos Padres para a Arquidiocese do Rio de Janeiro. A missa será presidida pelo Arcebispo do Rio, Dom Orani João Tempesta. Com o lema “Ide por todo o mundo e pregai o Evangelho a toda criatura” (Mc 16, 15), a turma de Diáconos fecha um ciclo de oito anos de estudos no seminário e chega a uma nova etapa de sua vida, o sacerdócio.

Para o Diácono Arnaldo Rodrigues, ser Sacerdote é um chamado de Deus para unir-se ao Cristo mais radicalmente numa vocação específica.

— Ser Sacerdote é ser um condutor de almas, aquele que é a ponte entre o ser humano e Cristo. Não é algo exclusivamente humano, é um chamado de Deus. Ser Sacerdote é, antes de tudo, estar aberto ao que Deus quer para as nossas vidas. É um mistério de Deus, afirmou.

Nos últimos seis meses, desde a ordenação diaconal, eles exerceram o ministério em uma comunidade paroquial. O diácono Josué Modesto Bisker considera especial o momento em que foram morar na paróquia, porque a dedicação já não era mais dividida com a faculdade e os trabalhos do seminário. Era, conforme lembrou, uma dedicação 24 horas.

— Experimentamos um pouquinho o que é estar junto ao povo de Deus nos trabalhos administrativos, para se manter a estrutura de uma paróquia, e nas atividades pastorais, como o aconselhamento de pessoas de todas as idades, no acompanhamento das famílias. Foi uma experiência muito rica e que realmente já ilumina o que nos espera no sacerdócio, destacou.

Lema da turma

De acordo com o Diácono Carlos Alberto Azevedo, a turma escolheu o lema “Ide por todo o mundo e pregai o Evangelho a toda criatura”, porque, além de estar em sintonia com o propósito da Jornada Mundial da Juventude Rio2013, ele expressa um chamado vocacional.

— É um desejo do próprio Deus que não só levemos o Evangelho, mas sejamos esse Evangelho vivo, encarnado, como o próprio Cristo é para os seus, explicou.

Serviço em favor do povo de Deus

Segundo o Diácono Carlos Alberto, o sacerdócio continua e amplia o serviço em favor do povo de Deus, sempre em comunhão com o próprio Senhor, porque é um dom recebido d’Ele, através da Igreja.

— Eu espero continuar buscando ser fiel, lutando a cada dia por esta santidade através deste ministério e me configurando ao próprio Senhor, administrando os seus dons em favor da santificação e da salvação do povo de Deus, ressaltou o Diácono Carlos Alberto.

Desafios

No mundo de hoje, na opinião do Diácono Irapuan de Oliveira, é um grande desafio para o Sacerdote viver a sua vocação, pois enquanto o mundo afasta as pessoas de Deus, o Sacerdote é aquele que tem a missão de aproximá-las do Pai.

— Nós estamos na corrente contrária. Quando o mundo leva para longe, faz desacreditar em Deus, e nós temos a missão de aproximar as pessoas de Deus, disse.

O Diácono Irapuan lembra que a missão dos Sacerdotes na comunidade eclesial e na Arquidiocese tem a proposta de união e de comunhão.

— Jesus era muito claro quando Ele falava sobre a comunhão, a unidade que devemos viver. Todos devem ser um só. Todos diante de Deus têm a dignidade de filhos. Então, devem viver a perfeita comunhão, ressaltou o Diácono Irapuan.

Vinde e vede!

Para os jovens que ainda não discerniram a sua vocação, o Diácono Josué destacou que eles devem aproveitar cada minuto da vida, vivendo-a por inteiro.

— Se você tem dúvida, viva com sabedoria a sua dúvida não só vivendo para um lado, mas sempre vivendo dos dois lados: a possibilidade de ser e a possibilidade de não ser vocacionado. Viva com carinho e, sobretudo, busque a santidade. A sua vocação vai ser um espelho da sua vida de santidade, frisou o Diácono Josué.

Missão em Paranatinga

Dois dos Diáconos transitórios que serão ordenados no dia 14, Sérgio Luiz Mafra e Flávio Matias, fizeram, em seu diaconato, um trabalho missionário na Prelazia de Paranatinga, em Mato Grosso.

Para o Diácono Flávio, foi muito proveitoso esse período do diaconato.

— Foi gratificante porque eu pude viver realmente na pele a experiência, o significado desse ministério, que é o serviço, ressaltou o Diácono Flávio.

O Diácono Sérgio afirmou que o lema da turma resume essa missão que eles continuarão fazendo em Paranatinga.

— Para mim, esse lema tem muito a dizer, principalmente ao meu coração, visto que depois de ordenado, eu retornarei ao Mato Grosso para um trabalho missionário. Então, estarei fora da minha Arquidiocese, servindo ao povo de Deus que lá reside, destacou o Diácono Sérgio.

Os futuros sacerdotes

Diácono Arnaldo Rodrigues da Silva

Diácono Carlos Alberto Azevedo Júnior

Diácono Eufrázio Luiz Morais da Silva

Diácono Flávio Matias Oliveira

Diácono Irapuan de Oliveira Fonseca

Diácono Josué Modesto Bisker

Diácono Júlio César Lopes de Souza

Diácono Leandro Lênin Silva Tavares Cardoso

Diácono Rafael Siqueira Silva Pinho de Souza

Diácono Rodrigo Luiz de Souza Azevedo

Diácono Sérgio Luiz Mafra Santos

* Foto: Gustavo de Oliveira

Fonte : Portal da  Arquidiocese de São Sebastião do Rio de Janeiro

Nenhum comentário:

Postar um comentário