sexta-feira, 20 de abril de 2012

Exposição sobre o Santo Sudário também evangeliza

Exposição sobre o Santo Sudário também evangeliza
20/04/2012
Raquel Araujo

“O Sudário é provocação à inteligência, Ele requer, antes de tudo, o empenho de cada homem, em particular do investigador, para captar com humildade a mensagem profunda enviada à razão e à sua vida.” A frase proferida pelo Beato João Paulo II, quando este estava diante do Sudário, reflete todo o mistério que envolve o lençol de linho que está guardado na Catedral de Turim. E ‘quem é o homem do sudário?’ O questionamento, título da exposição sediada no Via Parque Shopping, atrai diversas pessoas desde o dia 23 de março, data da abertura do evento.

A exposição itinerante já passou por Brasília e Curitiba e apresenta objetos como uma reconstrução artística do Homem do Sudário, um holograma em tamanho natural da imagem, as réplicas dos flagelos, coroa de espinhos e dos pregos, além de ilustrações em painéis e vídeos. Mais de nove mil pessoas já passaram pelo evento e puderam entender melhor porque o Sudário é considerado pelos cristãos como o lençol que envolveu Jesus Cristo.

Para o responsável pela exposição e membro da comissão internacional de estudos do Santo Sudário e da Virgem de Guadalupe, Padre Alexandre Paciolli, a escolha de um shopping para sediar a exposição contribui para os princípios da nova evangelização.

— Estamos falando muito da nova evangelização, constantemente. A nova evangelização significa também criar novos métodos para que o Evangelho chegue a outros lugares, outras pessoas, onde não estamos conseguindo chegar. E essa exposição é isso: ela busca responder aos apelos da Igreja e do Santo Padre para a nova evangelização. Temos que levar, sair das paróquias e ir ao encontro das pessoas. E aí, elas voltarão para suas paróquias. É um processo, um círculo virtuoso, explicou.

Para Padre Paciolli, o Rio de Janeiro está em evidência devido aos grandes eventos que sediará. E trazer a exposição para a cidade é também uma forma de preparação para a Jornada Mundial da Juventude. Ele citou uma frase do Papa Paulo VI, em carta ao Arcebispo de Turim, em junho de 1978.
— Que a exposição do Santo Sudário em Turim — mas que podemos aplicar aqui para o Rio de Janeiro— ajude verdadeiramente a todos a descobrir a múltipla fecundidade que está no escândalo da cruz de Cristo. E que o povo de Deus tire disso um renovado vigor para sua própria peregrinação terrestre, com a finalidade de participar também, do mesmo modo, da sua feliz ressurreição, parafraseou.
Quem passa pela exposição garante que é uma experiência única de conhecer ainda mais uma parte do Evangelho. Para o paroquiano da São João Batista, em Rio das Pedras, Leandro Maia, a exposição contribui para reafirmar os princípios cristãos:

— A exposição retrata uma parte da história de Jesus Cristo e é importante trazer esses princípios cristãos para a sociedade, que, em minha opinião, perdeu esses valores, disse.

Catequista de adulto e coordenador de grupos de casais da Paróquia Nossa Senhora do Loreto, em Jacarepaguá, Luiz Fernando Cardoso levou a esposa e alguns alunos para aproveitarem a exposição:

— Pretendo voltar antes de encerrar a exposição. Acho minha função como catequista de adultos e coordenador de casais é incentivar os meus alunos a participarem também para que depois, quando estivermos reunidos, possamos discutir o assunto e aproveitar todo o momento, afirmou.

Já para o integrante da comunidade Sol de Assis, Marcos Cesar, a exposição é a confirmação da fé.

— A exposição reafirma as nossas convicções e também tira algumas dúvidas sobre o Santo Sudário. E, ao mesmo tempo, nos ajuda a tirar da nossa mente algumas falsas convicções que por vezes nos confundem, opinou.

Além dos materiais expostos, quem visita a exposição pode participar da Santa Missa às 19h e se confessar antes ou após as celebrações.

Não trarás sobre ti uma veste de diferentes tecidos, lã e linho misturados” (Dt 22,11)

Inspirada na exposição permanente de Jerusalém, a versão brasileira chegou ao país em 2010 com o objetivo de ser itinerante. A primeira parada foi em Curitiba, no inicio daquele ano, e logo em depois seguiu para Brasília.

— Eu era pároco em Brasília, queria levar para Brasília. Assim que terminou em Curitiba, eu arrumei tudo para levar a exposição para Brasília. Ela ficou quatro meses e meio lá e tinha gente esperando para entrar! Foi uma experiência incrível, afirmou Padre Paciolli.

O Sacerdote garantiu que a exposição superou suas expectativas e afirmou que o sucesso do evento é uma providência divina.

— É maravilhoso. Não pensava que teria tanta força. Tivemos aqui até Missa de Lava Pés, também missa na Sexta-Feira Santa e Missa da Ressurreição, que era algo que eu não imaginava. E as confissões? Eu me sento e o povo vem buscar... Isso aqui para mim é um milagre! Tudo esta sendo na providência divina. A entrada é gratuita e Deus esta abençoando com salvação, destacou.

No Via Parque Shopping, a exposição, situada no segundo piso, próximo ao cinema, fica até o dia 6 de maio e de lá segue para o Bangu Shopping, com abertura prevista para o dia 23 de maio, com novidades. O Via Parque fica à Avenida Ayrton Senna, 3.000, Barra da Tijuca.

* Fotos: Raquel Araujo

fonte: Portal da  Arquidiocese de São Sebastião do Rio de Janeiro



Rádio Catedral
18 anos de evangelização


  + Notícias
. Diante de suas limitações, Bento XVI diz confiar plenamente em Deus
. Trabalhos do segundo dia da 50ª AG
. Animação da Vida Religiosa na 3ª Idade
. “A vida exige cuidado”
. Dom Orani e os meios de comunicação

Nenhum comentário:

Postar um comentário