quarta-feira, 26 de outubro de 2011

Missão Continental na Maré

25/10/2011
Hélio Euclides





“Ide por todo o mundo, proclamai o Evangelho a toda criatura” (Mc 16,15). Com esse lema, nos dia 22 e 23 de outubro, foi realizada a segunda etapa da Missão Continental na Maré. Dessa vez, a missão foi realizada no entorno da Paróquia São José Operário. Foram 509 missionários que fizeram o trabalho porta a porta. Entre eles, 184 de outras localidades da cidade, e 325 da Maré.

No sábado, após oração e café da manhã, todos os envolvidos receberam uma formação, algumas orientações para uma boa realização do trabalho. Depois, os grupos foram divididos e enviados às ruas de cinco comunidades: Vila do Pinheiro, Conjunto Pinheiro, Salsa e Merengue, Vila do João e Conjunto Esperança.

— Dividimos as pessoas em 27 grupos, uma estrutura na qual eles representavam os estados da nação. A avaliação é excelente. Vimos que as pessoas visitadas têm sede de Deus; percebemos o sofrimento, mas também a alegria ao abrir a porta, comentou o Diácono Edilson Ezequiel de Lima.

Já no domingo, as visitas ocorreram durante todo o dia. Na parte tarde, a Paróquia recebeu membros das famílias visitadas para a realização de oficinas. Havia atividades para crianças, jovens e adultos. Os meninos e meninas tiveram a oportunidade de colaborar com o meio ambiente, plantando cerca de 100 mudas de árvores no parque ecológico local. Os jovens podiam inscrever-se para cursos de informática e inglês, que estão sendo oferecidos pela Paróquia, e os casais participaram de conversas sobre temas como família, métodos naturais de contracepção, dentre outros.

Os trabalhos foram encerrados com a Missa, celebrada por Monsenhor Luiz Antônio Pereira Lopes, e concelebrada por quatro Sacerdotes e o mesmo número de Diáconos. Ao final, foi inaugurada uma placa comemorativa pelo trabalho missionário realizado e por ser o Dia das Missões. Na Missa, o Padre local, João Carlos Silveira da Silva, agradeceu a Deus e à Arquidiocese, que propiciaram a realização do trabalho.

— Esse é um marco que vamos dar continuidade, de uma missão que vai ser uma explosão para a Maré, apostou o Sacerdote.

Na missão, notou-se a presença da família. Foi o caso de Wellington de Oliveira, de 34 anos, e sua esposa, Sheyla de Oliveira Duarte, de 30 anos. Para os dois, a experiência foi especial.

— O grupo da minha esposa, em conjunto com um Sacerdote, foi a um lar que estava com um enorme sofrimento. Em decorrência da violência local, perderam um filho há poucos dias. Na família todos choravam, e depois de uma longa oração, todos sentiram um grande alívio, destacou.

Sheyla se surpreendeu com a boa receptividade dos moradores.

— Outro fato marcante foi uma senhora de outra religião, que nos recebeu muito bem. Ela precisava conversar e de oração. O filho estava preso, e ela não sabia o local exato onde o filho estava, completou.


O Monsenhor e Vigário Episcopal Leopoldina, Luiz Antônio, comparou a missão com o evangelho do dia. Disse que todos transmitiram para o povo um belo testemunho do amor de Deus ao próximo.

— A missão visa mostrar que todo fiel batizado é chamado a estar em permanente missão. Todos que vieram de fora conheceram as coisas boas que fazem na Maré. E os que estão aqui, desgastados pelos desafios, são apoiados por eles, destacou.

Para o Monsenhor, a comunidade sentiu uma grande felicidade nesses dois dias.

— Os missionários levaram o olhar de Deus em cada visita, e por isso sentiram a alegria de ser discípulos de Jesus Cristo. O sorriso de satisfação marcou esse trabalho, mostrando um compromisso cumprido, finalizou.

* Fotos: Hélio Euclides

Fonte : Portal da Arquidiocese de São Sebastião do Rio de Janeiro

Nenhum comentário:

Postar um comentário