quarta-feira, 6 de outubro de 2010

Abertura da festa da Penha com consagração do altar


O Arcebispo Dom Orani João Tempesta abriu na manhã deste domingo, 3 de outubro, a festa de Nossa Senhora da Penha, uma das devoções marianas mais antigas do Brasil. Precedida por uma novena preparatória, a festa se estende até o dia 31 de outubro, com procissão, missa campal e coroação da padroeira.

- Estamos tomando todas as providências para que a festa deste ano seja marcante, pois estamos celebrando os 375 anos da devoção a Nossa Senhora da Penha e os 75 anos da agregação do Santuário, com todos os privilégios, dons e graças à Basílica de Santa Maria Maior, em Roma, afirmou o Reitor, Padre Serafim de Sousa Fernandes.

Reunindo mais de 300 fiéis, a celebração teve início com a procissão da imagem primitiva de Nossa Senhora da Penha, protegida por novo manto. O andor da padroeira foi conduzido por um grupo de “cavalheiros” e cortejado por “damas”.

Também presente, o vigário episcopal, Monsenhor Luiz Antônio Pereira Lopes, do Vicariato Leopoldina. A proclamação do Evangelho foi feita pelo diácono permanente Melquisedec Ferreira Rocha, da Paróquia Bom Jesus, da Penha.

Na homilia, Dom Orani destacou que a festa de Nossa Senhora da Penha, que surgiu nos primórdios da consolidação da cidade do Rio de Janeiro, marca a devoção mariana do povo carioca, que vê em Maria a força necessária para dizer “sim” à vontade de Deus no cotidiano da vida.

Também destacou o valor da fé e o sentido de colocar-se a serviço dos irmãos. Que a festa da padroeira é uma oportunidade para o reavivamento da fé, de todos os dons concedidos por Deus. Lembrou que cada um deve ter a fé que remove montanhas e, por isso, faz maravilhas. Que luta contra toda a esperança e que acredita na misericórdia de Deus.

- Ao viver a fé, o cristão se torna livre, não espera recompensa. É feliz, pois, ao experimentar o amor de Deus em sua vida, vive a gratuidade de cada dia. Por causa da fé, simplesmente corresponde ao dom de Deus, na certeza de que servir aos irmãos é a verdadeira recompensa. Com o pé no chão, vive de olho no infinito, afirmou o Arcebispo.

O momento marcante da celebração foi a consagração do novo altar, ofertado por devotos. Além de realizar o rito próprio, Dom Orani aproveitou a oportunidade para explicar, como uma catequese, o sentido da consagração, como sinal de que “Cristo é o centro da vida cristã”. O antigo altar era provisório, instalado por ocasião da reforma litúrgica ocorrida com o Concílio Vaticano II.

Confira as fotos no link: http://www.flickr.com/photos/domorani/sets/72157624968511933/

Artigo enviado por Carlos Moioli

Nenhum comentário:

Postar um comentário